Review: “Nihilism” – Com Spoilers!

Minha review do episódio “Nihilism” (14×10) de Supernatural.

Fim do Hellatus e quase que não consigo lançar essa review! Infelizmente estou com pouco tempo para escrever, e se eu já não sou especialista em fazer review, imagina com pressa?! Não ia dar certo! haha Eu gosto de começar a escrever logo depois de ver o episódio que é quando está tudo fresco na cabeça e quando pensei que teria que fazer dias depois, pensei em desistir. Maaaas resolvi lançar a review com atraso mesmo, pois esse episódio merece! Eu tinha que escrever sobre ele!

O episódio começou com várias referências maravilhosas (vou falar melhor sobre elas em outro post aqui no Blog!) quando vimos Dean preso em sua própria mente por Michael, o que não era algo novo para nós, pois Gadreel fez o mesmo com Sam na nona temporada. Esse episódio trouxe de volta também uma antiga personagem, Pamela (Thunderbird Dinwiddie), que havia morrido na quarta temporada.

Ao meu ver, Sam foi o grande destaque desse episódio e vocês vão falar “Como assim sua louca? E a interpretação divina de Jensen Ackles?”, eu concordo e vou falar disso daqui a pouco, mas vou explicar o motivo de dar destaque à Sam, e entenda bem, destaque à Sam e não à Jared Padalecki (que aliás tem destaque no meu coração todos os dias! haha). Que Sam é o cara inteligente da série todos sabemos, mas nesse episódio ele se destacou. Primeiro ao lembrar, logo do começo do episódio, de Jessica, a ceifeira enviada por Billy para os vigiar (embora tenha sido outra a aparecer no momento de desespero foi válido). Obviamente ela não os ajudaria, mas a atitude de Sam acabou os salvando.

Outro momento de destaque foi quando Sam e Castiel entram na mente de Dean e enquanto Castiel está procurando Dean dentro de seus traumas – o que foi sensacional, pois podemos ouvir Dean em momentos bastante variados, desde a terceira temporada até algo mais recente que aconteceu na décima terceira! – ocorre à Sam que Michael não está prendendo Dean em seus traumas e sim em momentos bons. Dean cita que ele não vai vender o bar, aquele bar é seu sonho. Michael quer Dean de guarda baixa, relaxado. Sam foi sensacional percebendo isso.

Não posso deixar de comentar também outro momento que nos levou a lembrar novamente da nona temporada, quando Sam finalmente consegue trazer Dean de volta para a realidade e lembrar de tudo quando fala “Poughkeepsie”, que é o sinal de socorro de Sam e Dean, que significa largar tudo e fugir.

Em uma temporada onde Dean/Michael tem praticamente todo o destaque, confesso que acabo procurando pelos pequenos momentos de brilho que dão à Sam, Castiel e Jack.

E eu não poderia acabar essa review sem falar de Dean/Michael, ou melhor, Jensen Ackles e sua interpretação de ambos. Nesse episódio especialmente eu gostei muito do trabalho que ele fez como Michael, acho que mais do que nos anteriores. Nesse episódio ele revela um pouco mais de sua crueldade, mas sem entregar tudo, para que continuarmos com aquela sensação de não conhecer o personagem por completo, aquela sensação de que há muito mais ainda para vermos dele. Michael é um personagem que pode ser bastante explorado e esse foi um bom trabalho também dos roteiristas e não só de interpretação. O episódio faz Jensen pular de um personagem para outro (embora provavelmente ele tenha filmado todas as cenas de um de uma vez o depois todas as cenas do outro) exatamente para mostrar a genialidade do ator e o brilhante trabalho de edição do episódio nos faz
desfrutar desses dois personagens tão diferentes.

Supernatural voltou com tudo e na minha opinião esse foi o melhor episódio da décima quarta temporada! Até aqui, é claro. Afinal o episódio 300 vem aí!!!!! 🙂

Audiência do episódio (Canal CW – EUA):  1.44 milhões de espectadores.
Nota: ♥♥♥♥♥ (5/5)
Digam aí, o que acharam do episódio?

One Reply to “Review: “Nihilism” – Com Spoilers!”

  1. Gostei muito desse episódio em especial da brilhante interpretação do jared como o sam e a perspicácia do sam ao perceber como michael prende o dean. Tambem parabenizo o jensen finalmente ele sai do comodismo que o personagem dean tem (aquele que é o engraçado e não falha), arriscar um lado tb vulnerável do dean onde ele tem erros e fraquezas não sendo o sam o unico que sempre erra. E a vez do dean ser o anti heroi e precisar ser salvo dele mesmo. O jensen tem a chance de sair da mesmice de seu personagem e dar uma nova faceta ao dean de humano e passível de erros.

Deixe uma resposta